7 lendas que permeiam o litoral do Paraná

O litoral paranaense é recheado de lendas que até hoje assustam os moradores e turistas de algumas regiões. Essas lendas envolvem fantasmas, sereias e até seres de uma perna só. Elas foram todas colocadas no livro Lendas e Contos Populares do Paraná, que foi publicado pela Secretária do Estado da Cultura. Ficou curioso? Então confere algumas delas ai:

Sereias – Gruta das Encantadas (Ilha do Mel)

Diz a lenda que no passado mulheres-peixes encantavam pescadores que passavam pela Gruta das Encantadas. Os homens seguiam seu canto até a gruta e acabavam morrendo afogados. A lenda ainda diz que essas sereias seriam um grupo de sete filhas dos índios Jurema e Cauã que teriam sido amaldiçoadas pelo avô e por isso ganharam rabo de peixe.

Saçi Caiçara

A lenda conta que o ser é um pássaro durante o dia, e um menino de uma perna só e gorro vermelho durante a noite. O saçi assusta quem anda sozinho na escuridão, principalmente cachorros. Ainda se diz que caso o cachorro seja atacado, é preciso ser benzido e lavado com água e sal.

Escravos da igreja de São Benedito 

A igreja de Antonina foi construída por escravos e recebe o nome justamente em nome de seu santo protetor. Durante sua construção, vários escravos acabavam morrendo por terem que levantar pedras da parede com suas próprias mão. Eles eram sepultados na parede da própria igreja, por isso, diz a lenda que eles podem ser vistos no local até hoje.

Fantasma do Central

A lenda dizia que no bairro Central, em Morretes, havia um fantasma que assombrava as casas durante as noites. O fantasma era um vulto branco e aparecia e desaparecia muito rápido. Até que um dia um mulato resolveu ir atrás do tal fantasma. Descobriu que se tratava de um operário que  visitava uma viúva e se cobria com um lençol para evitar fofocas de moradores da região.

Negro do Caixão

A lenda conta que o homem perambula pela Serra do Mar carregando consigo um baú cheio de ouro, que teria sido um tesouro esquecido por seu senhorio em um cova aberta. Para receber o ouro é preciso aceitar uma tarefa sugerida pelo Negão, mas elas seriam tão difíceis que jamais ninguém conseguiu completá-las.

Nossa Senhora do Rocio

Se tornou padroeira do Paraná pois sua imagem teria sido encontrada em uma rede de uma pescador no século XVII. A santa teria sido responsável por salvar o litoral de várias pestes e da gripe espanhola em 1918. A lenda ainda conta que já tentaram levar a imagem para a igreja matriz diversas vezes, mas ela sempre volta para a casa do pescador que a encontrou.

Itacunhatã e Jurecê

O Morro do Cristo, em Guaratuba, já foi palco de uma das mais bonitas histórias de amor do litoral. Reza a lenda que a bela Jurêce teria caído do alto do morro e que Itacunhatã morreu ao tentar salvá-la. O mar tentou fazer com que a jovem voltasse a vida, mas sem Itacunhatã isso foi impossível. O jovem guerreiro é hoje nome da rocha que forma o morro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s